Bolsonaro foi transparente sobre os indígenas e a amazônia em 2018

“Se eleito, vou dar uma foiçada na Funai, mas uma foiçada no pescoço.” Ora, foi o que exatamente ele fez.

O indigienista Bruno Pereira foi exonerado do posto de chefia na Funai após desbaratar grupos de garimpeiros e caçadores ilegais. Junto com o jornalista Dom Philips, Bruno terminou assassinado, lutando pela defesa dos direitos dos indígenas.

A Funai mantém sua linha antifunai. Tanto que, em nota, tentou desqualificar Bruno através de texto à imprensa. Provocada, a justiça federal determinou que a nota fosse retirada do ar e que a Funai ficasse impedida de mentir ou tentar desabonar a conduta de Bruno.

Bolsonaro sempre foi transparente sobre seu autoritarismo contra as minorias. Não tem como alegar agora surpresa.

Deixe um Comentário