Bolsonaro usa teoria conspiratória Qanon dos EUA para atacar ministro Barroso

O presidente Jair Bolsonaro adaptou a teoria conspiratória Qanon da extrema direita criada nos EUA contra o ministro Barroso. Ontem, em seu suposto recuo na live de quinta feira, ele disse: “Barroso, as urnas são penetráveis, penetráveis”.

A teoria Qanon prega a existência de uma conspiração nos EUA pelo partido democratas em que há a proteção de práticas sexuais e pedófilas desempenhada por políticos e empresários.

Barroso, em duro discurso também na quinta feira, defendeu o sistema eleitoral e disse que as desconfianças contra as urnas foram fabricadas por uma campanha de desinformação advinda de Bolsonaro. E disse que ele era um farsante.

Quem ainda apoia um negócio como esse?

Deixe um Comentário