Busca pela aproximação dos militares por Doria e Lula é sinal de crise da democracia brasileira

Em nenhuma democracia tida, digamos assim, como saudável um líder político externaria uma necessidade tão grande em se aproximar de grupos militares. Simplesmente porque eles não desempenham papel político de relevo em democracias fortes. O fato do governador de São Paulo, João Doria, e o principal líder da esquerda, Lula, se preocuparem tanto com a opinião dos militares é um péssimo sinal e sintoma do que vivenciamos no Brasil.

Deixe um Comentário