Caso do hackeamento do ifood tende a se acentuar até 2022

O ifood foi hackeado e estabelecimentos comerciais receberam nomes como “vacina mata”, “Lula ladrão” e “Bolsonaro 2022”. A empresa alega que foi um funcionário terceirizado com acesso ao sistema.

Não precisa ser muito inteligente para saber que se tratou de algum bolsonarista mais aloprado. Com os comércios prejudicados em pleno feriado em que as pessoas pedem comida, tal ação não será caso isolado. Tende a se multiplicar até o ano que vem, período de eleição.

A caixa de pandora foi aberta.

Deixe um Comentário