Com a CPI da Covid na AL morna, oposição traz o tema da violência sem apresentar estatísticas

Até o presente momento, a CPI da Covid na Assembleia não pegou. Tirando a bolha da política, não há acompanhamento massivo da comissão. O próprio quórum só é garantido porque os deputados governistas se fazem presentes. Os de oposição seguem nem dando as caras direito. Hoje, o deputado estadual Gustavo Carvalho, pediu para adiar um depoimento porque a data coincide com uma festa de casamento que ele irá.

Diante disso, a oposição mudou de estratégia e trouxe uma ação antiga para tentar desgastar o governo, que vem desde o governo Vilma e que se acentuou com as redes sociais e grupos de whatsapp. A incursão é dizer que há um caos na violência.

A ação funciona assim. São reportados casos específicos com amplo processo de escandalização. Como a violência sempre existiu e nunca será totalmente suprimida, sempre terá o que apontar. Aí, logo em seguida, os exemplos começam a circular nos grupos de whatsapp, gerando indignação.

Qual é o problema? É errado reclamar da violência? Óbvio que não. Um único evento deve ser motivo da busca pela resolutividade. A questão é que as estatísticas são marotamente esquecidas no contexto. E, sem elas, não há uma visão de conjunto para saber se, de fato, o cenário está melhor ou pior. O secretário de segurança, Coronel Araújo, alega que não há aumento das estatísticas de violência no RN e isto merece a devida apuração.

Falta jornalismo de dados no RN. Não é a primeira que o blog faz menção a isso por aqui. E, neste caso, a carência de números impede que façamos a devida reflexão e permite que o assunto vire objeto de incursão política sem qualquer perspectiva de geração de respostas efetivas.

Deixe um Comentário