Com a prefeitura deixando de efetivar o seu papel, o caos virou regra no transporte público de Natal

Com mais duas entregues, já chegam a 30 a quantidade de linhas devolvidas pelas empresas de transporte público de Natal.

Semana passada o sindicato do setor, o Seturn, disse que não descumpria decisão judicial – a justiça mandou os empresários retornarem com a circulação dos ônibus retirados – porque sequer existia contrato de prestação entre os empresários e a prefeitura.

De fato, não há regras, contrato, nada. O sistema de transporte público de Natal funciona a partir do caos e abandonado como rotina. E não adianta culpar o empresário. Ele age como quer porque a prefeitura não administra uma concessão que é pública. Não é dele esse papel. É de quem foi eleito para tanto.

O que a secretaria de transporte tem feito? Um tapa buraco – habilitando a circulação de bestas nas rotas entregues. Ora, não se trata de ser contrário ao permissionário, mas há aí a evidência de que tudo está sendo feito para nada funcionar.

Deixe um Comentário