Com investigações, cartão corporativo e de vacinas e até visitas ao planalto tornados secretos, Bolsonaro embala golpismo por falsa transparência contra urnas eletrônicas

Investigações contra o ex-ministro da saúde, General Pazuello? Decretado sigilo de 100 anos.

Cartão corporativo, aquele em que no primeiro o presidente JAir Bolsonaro gastou o dobro do que a ex-presidente Dilma? Decretado sigilo de 100 anos.

Cartão de vacinas presidencial? Decretado sigilo de 100 anos.

Visitas ao planalto dos familiares e filhos de Bolsonaro? Decretado sigilo de 100 anos.

Urnas eletrônicas, referência mundial, utilizadas em dezenas de países e auditadas pelos partidos políticos, Ministério Público, Tribunal Superior Eleitoral, etc, etc, etc, etc? Segundo Jair Bolsonaro, são uma fraude.

O presidente Jair Bolsonaro se comporta como se fosse perder em 2022 e cria toda essa cortina de fumaça para ter um subterfúgio de contestação contra o processo eleitoral.

Cai nesse conto do vigário quem quer – por pura ingenuidade alicerçada em realidade paralela de zapzap ou por golpismo.

Deixe um Comentário