Com unidades de pronto atendimento sobrecarregadas, competência do município, o prefeito Álvaro Dias procura culpados em ano de reeleição

As unidades de pronto atendimento de Natal estão sobrecarregadas pela covid-19. Só são 4 para toda a Natal. O recebimento inicial do paciente é competência do município.

Com a situação escalando rapidamente para o caos e a cidade sendo matéria constante no jornal nacional, o prefeito de natal Álvaro Dias procura terceirizar culpas. Segundo ele, o governo não ajuda.

Ora, o estado só regula a internação e já informou sobre a abertura de 300 leitos com dois hospitais de campanha: um em parceria com a Liga em Natal e outro em Mossoró. E, cabe repetir, o atendimento na partida é do município.

O cenário é adverso e foi dito que nenhum sistema de saúde do mundo suportaria uma elevação rápida dos casos de covid-19. Nem Natal, nem ninguém.

A única coisa a fazer é fortalecer o isolamento social para desacelerar a curva. Álvaro disse que é a favor. No entanto, permite o funcionamento das feiras livres e abriu o comércio do alecrim. Hoje, nada faz de objetivo para aumentar o índice de isolamento.

Seu secretário de saúde, George Antunes, hoje também se coloca a favor do isolamento. Clama por ele, inclusive. Mas no passado chamou os avisos de pânico e garantiu, em sabatina junto aos vereadores de natal, que não existiria colapso na cidade.

É preciso lutar com as armas reais. Narrativa distante da realidade até ajuda a produzir auto-enganos, mas não altera a situação.

Deixe um Comentário