Comparativo do TCU aponta que governo federal trata Paraíba melhor que o RN

Por Dinarte Assunção

Do blog do bg

Decidi colocar um elemento substancial à discussão comparativa sobre o Rio Grande do Norte e a Paraíba. Cada um vem utilizando a comparação ao sabor de suas ideologias. Disponibilizo à análise abaixo para o debate.

Tratam-se de números que refletem a maneira como o governo federal lida com os dois estados.

Minha conclusão é de que a Paraíba é mais beneficiada.

Os números são do Tribunal de Contas da União. Eu os compilei para um melhor entendimento.

Para começar, o orçamento federal no Rio Grande do Norte sofreu redução da ordem de 13%. Em 2013, foram 4,9 bilhões de reais, tendo passado a 5,1 no ano seguinte e atingido o máximo em 2015, quando ponutou 5,4.

De lá para cá, a queda: 5 bilhões (2016), 4,9 (2017) e 4,7 previstos para este ano, número inferior a 2013.

Na paraíba também houve redução, mas foi menor, de 10%. Foram 6,1 bilhões de reais em 2013. Depois 6,3 em 2014 e 2015. Seis bilhões em 2016. No ano passado foram 5,8 bi. A previsão para 2018 é de 5,7.

Investimentos

O governo federal chama a atenção dos dois estados para um aspecto: recursos disponibilizados para investimentos não estão sendo totalmente executados. Entre as cifras liberadas, Paraíba também ganha.

O Rio Grande do Norte teve autorização de R$ 5,6 bilhões para investimentos nos últimos cinco anos. Chama atenção como a crise afetou os números. Até 2015, os números eram superiores a um bilhão de reais por ano. Mas em 2016 e 2017 foram cerca de 700 milhões de reais. Para este ano, a previsão é de 390 milhões.

Na Paraíba, os números tiveram comportamento semelhante, mas são sempre superiores. Em 2014, se a média do RN era levemente acima de um bilhão de reais, o Estado vizinho projetou quase 2 bilhões. Mesmo em 2016, quando os números do RN caíram drasticamente para abaixo de um bilhão, a Paraíba ainda captou 1,1 bilhões de reais. No período de 2013 a 2018 foram, num total, 6,8 bilhões de reais.

Contratos

Quando a análise passa para contratos e convênios federais vigentes, o Rio Grande do Norte fica em melhor situação.

São 774 milhões de reais contra 672 milhões. Mas a Paraíba vence as transferências voluntárias, somando R$ 3,2 bilhões contra 2,3 bilhões do RN.

Parlamentares

A força da bancada federal é decisiva para a transferência de recursos. Se considerássemos os números absolutos, seria lógico afirmar que a bancada do RN é menos competente que os colegas da Paraíba. Mas a lógica não é tão simples. Com a palavra, nossos deputados e senadores.

A população dos estados é muito parecida (3,9 milhões lá e 3,5 milhões aqui). Os números de desempregados também se parecem. Foram 14,47% no RN, em 2017, e 11,3% na Paraíba.

Deixe um Comentário