Coronel Azevedo: um leão sobre a CPI da Covid; um engavetador sobre a CPI da Arena das Dunas

Deputado Coronel Azevedo, presidente da CPI da Arena das Dunas, sobre o fim da comissão sem relatório aprovado com voto dele:

Observações: A CPI investigava o possível sobrepreço de 400 milhões, conforme apontado pela Controladoria Geral do Estado no contrato assinado na gestão de Rosalba entre o Estado e a construtora. Ela foi arquivada após Getúlio Rego pedir parecer à procuradoria da Assembleia, que disse que o prazo de 60 dias já havia sido extinto e, portanto, a comissão não poderia mais sequer votar o relatório de autoria da deputada Isolda. A procuradoria usou o regimento antigo para emitir o parecer, que não se encontra mais em vigência. Transmissões de TV foram vetadas.

Da Tribuna do Norte: Portanto, não houve consenso ontem, quanto ao tema da contagem de prazo, depois de ouvido novamente o procurador Sério Freire, o presidente da CPI disse que se colocou a matéria em votação “e a maioria acatou o parecer da assessoria jurídica do Poder Legislativo e por esta razão o prazo foi considerado findo, e nenhum ato fora dele seria legal”.
Azevedo declarou que por essa razão não foi apresentado e nem votado o relatório. “A relatora teve o tempo todo para isso, mas não o fez, por razões que somente ela (Isolda Dantas) pode divulgar, são questões que dizem respeito ao trabalho individual dela”.

O mesmo deputado coronel Azevedo por ocasião da instalação da CPI da Covid na AL.

Observações: A CPI teve a duração de 126 dias. As sessões foram transmitidas na TV. Para isso, o regimento interno da casa foi alterado para que o prazo fosse ampliado e as transmissões autorizadas. Todos os contratos investigados foram aprovados pelo TCE e MP. A comissão decidiu pelo indiciamento do secretário de saúde e da governadora pelos 5 milhões não entregues pela empresa em respiradores. A denúncia foi feita pelo próprio governo que tenta na justiça reaver o dinheiro. O MP de Contas concluiu que o Governo não foi responsável pelo dano ao erário.

Texto extraído da Assembleia do RN: Com a aprovação para instalar e começar os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid na Assembleia Legislativa, o deputado estadual Coronel Azevedo disse que, agora, o “Parlamento vai poder exercer sua obrigação constitucional de investigar o gasto público”.

Coronel Azevedo fez alusão a uma atividade lúdica para citar a situação envolvendo a bancada governista. “Hoje acaba o jogo de polícia e ladrão”, comentou ele citando a ausência dos deputados que apoiam o Governo do Estado durante sessões para tratar da CPI da Covid.

Ele lembrou que “foram sete mil vidas perdidas [no Rio Grande do Norte] para a Covid-19”. “Queremos saber onde estão os R$ 5 milhões que o governo pagou pelos respiradores”, afirmou.

No encerramento, ele parabenizou e agradeceu aos que foram às redes sociais para atuar e defender a instalação da CPI da Covid-19 no RN. “Parabéns, cidadão potiguar”, concluiu.

Deixe um Comentário