E se o caso Bebianno for mais grave?

O filho do presidente Jair Bolsonaro, Carlos Bolsonaro, tratou de desmentir o ministro Gustavo Bebianno, que alegou continuar com relação tranquila com o presidente, mesmo após do caso em que o PSL, partido que Bebianno presidiu na campanha, ter repassado recursos do fundo partidário a candidatas à câmara federal supostamente laranjas no estado de Pernambuco.

A situação ganhou maior dimensão com a estabanada busca da família Bolsonaro, pelas redes sociais, de se afastar de Bebianno com o próprio endosso do presidente. É uma situação muito específica para tamanha reação, aumentando inclusive a consequência do problema.

E se não for um caso isolado? Só isto explicaria a velocidade com que o revés foi enraizado no nome de Gustavo Bebianno, o separando no presidente.

Deixe um Comentário