Em ano eleitoral, uma recomendação do MP sobre gestão do museu da rampa ganha ar de denúncia de corrupção

O Ministério Público do RN fez uma recomendação para que o governo do RN cancele o contrato de relação de gestão entre a casa da Ribeira e o museu da rampa. A alegação é a de que a inexigibilidade na contratação gerou direcionamento para uma organização que carece de expertise comprovada. O parquet quer que seja aberta licitação.

Já o governo do RN disse que confia nos seus secretários e que não há sequer transferência direta de recursos. Prometeu toda transparência a respeito do assunto.

A exploração como um caso de irregularidade pela oposição faz parte do jogo. Mas vale mera procura no Google para comprovar que a queda de braço entre Governo e MP já vem ocorrendo há meses. O Governo quer um modelo de contratação sobre a gestão do museu e o MP outro. Tanto que, em nota, o governo prometeu prestar mais esclarecimentos, só que não retrocedeu. Já o MP fala em irregularidades como meio de fazer valer seu ponto de vista pela via da opinião pública.

Cabe aguardar a apuração diante de versões ainda preliminares sobre o tema. Porém, os secretários das pastas envolvidas devem esclarecer os indícios levantados pelo MP, até para que, se assim achar melhor, implementar o contrato como o executivo almeja.

Deixe um Comentário