Ao contrário do que diz, Bolsonaro escolheu perder poder para o congresso pelo orçamento secreto em troca de proteção pelo que fez durante a pandemia

A literatura da ciência política diz que o presidente no Brasil consegue negociar sua agenda vitoriosa na eleição junto ao congresso a partir da capacidade de nomear assessores para os cargos políticos do Estado e carrear o orçamento . Além do retrocesso que o chamado orçamento secreto representa: venda de emendas, falta de controle, fornecedores escolhidos por parlamentares, há a perda do poder presidencial.

Ao contrário do que diz em sua retórica, o presidente Jair Bolsonaro entregou o orçamento, sem qualquer controle, para os partidos que lhe dão algum apoio. A troca é por proteção pelo que ele fez durante a pandemia. O presidente da câmara, Arthur Lira, está sentado em cima de mais de 120 pedidos de impeachment. Bolsonaro foi o que mais distribuiu emendas entre todos os presidentes até aqui e o que menos aprovou projetos no congresso. O próximo presidente terá bastante trabalho para recuperar o seu poder perante o congresso nacional.

Deixe um Comentário