Escola com partido

Após 30 servidores do INEP, que organiza as provas do ENEM alegando interferência política entregarem seus cargos, o presidente Jair Bolsonaro disse que a prova terá a cara do governo e funcionará com tranquilidade.

É a escola com partido. A comissão de educação do senado já organiza o chamado do ministro da educação, Milton Ribeiro, a explicar o ocorrido.

Deixe um Comentário