Estratégia: o discurso oficial de Bolsonaro anda de mãos dadas com as correntes de WhatsApp

ESTRATÉGIA: O DISCURSO OFICIAL DE BOLSONARO ANDA DE MÃOS DADAS COM AS CORRENTES DE WHATSAPP

Algo não é nada amador no governo Bolsonaro. O discurso oficial anda de mãos dadas com as correntes de WhatsApp numa sintonia incrível.

Por exemplo, o ministro da educação e o presidente falam que é preciso otimizar o gasto nas universidades e que ocorreu um crescimento sem planejamento. No caso da “balbúrdia”, ainda que o governo tenha recuado, a senha foi ativada.

A oposição rebate e a imprensa esclarece. Só que a oposição e a imprensa “não dizem a verdade”, para os bolsonaristas. Na prática, ainda assim, a oposição e a imprensa espalham o ataque para quem ainda acredita no atual governo. Trata-se de cerca de um terço da população, conforme as pesquisas. A gestão Bolsonaro é para um polo e não para todos.

As afirmações acima viram o início para a circulação de conteúdo zapiano com acusações de corrupção contra as universidades, supostos desperdícios, festas com gente nua, planilhas orçamentárias falsas e rankings manipulados que apresentariam gastos exorbitantes por aluno com pouco resultado.

Para finalizar, o ministro da educação disse que, de 100 chocolates, era como se Bolsonaro tivesse cortado 3,5 chocolates. A conta é falsa. Seriam 30 chocolates, ou seja, 30%.

A gente fica achando que o ministro é um burro. Na verdade, ele é um amoral. Hoje, circulam planilhas, apresentando que o corte foi de 3,5% e não de 30%. Entendeu a real intenção do exemplo do chocolate do ministro?

Deixe um Comentário