Fábio Faria usa redes sociais para criticar conselheiro do Tribunal de Conta do RN

Do Agora RN – O

deputado federal Fábio Faria (PSD-RN) usou sua conta no twitter para criticar o conselheiro Paulo Roberto Alves, do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RN), relator do processo que resultou no bloqueio das aplicações do Funfir pelo Governo do Rio Grande do Norte.

As queixas do deputado contra a decisão do conselheiro foram feitas na noite desta terça-feira, 23. Em cinco sequências de posts, Fábio Faria que é filho do governador do RN, Robinson Faria, disse estranhar que Paulo Roberto Alves tenha bloqueado o dinheiro da Previdência dos aposentados do RN, o Funfir.

O conselheiro é primo do ex-ministro Henrique Eduardo Alves (PMDB) e que está preso em ação da Operação Lava Jato. Fábio Faria é adversário político de Henrique Alves, que foi o candidato derrotado por Robinson Faria nas eleições de 2014 para o governo do Estado.

Fábio Faria também disse que em 2014, o governo Rosalba Ciarilini, a quem Robinson Faria sucedeu, utilizou dinheiro do Funfir “para pagar novembro, dezembro e o décimo-terceiro. Paulo Roberto Alves não foi contra. Em 2015, de novo, o FUNFIR foi usado. E Paulo Roberto Alves também não se posicionou contrário.” E faz uma crítica no final de 2017, perto das eleições, se posicionou contra a utilização do Funfir “alegando que não tinha projeto de lei”.

Veja a sequência de postagens de Fábio Faria em sua conta no twitter para criticar o conselheiro Paulo Roberto Alves, do Tribunal de Contas do Estado (TCE):

  1. Estranho o Conselheiro do TCE Paulo Roberto Alves bloquear o dinheiro da Previdência dos aposentados do RN, o FUNFIR. Os aposentados poderiam acordar amanhã com seus salários na conta. Não irão por causa dessa decisão.
  2. Em 2014, o governo Rosalba usou o FUNFIR para pagar novembro, dezembro e o décimo-terceiro. Paulo Roberto Alves não foi contra. Em 2015, de novo, o FUNFIR foi usado. E Paulo Roberto Alves também não se posicionou contrário.
  3. E agora no final de 2017, mais perto das eleições, ele se posicionou contra, alegando que não tinha projeto de lei. Mas o Governo fez sim o projeto, a Assembleia Legislativa aprovou e a matéria já foi sancionada. O Estado tem mais de 5 mil ativos e tem como repor esse fundo.
  4. Por que só agora o conselheiro foi contra? Qual posicionamento vale? Por que antes valia e agora não pode? Por que não alegou impedimento pra votar? Alguém explica? O conselheiro é contra o Rio Grande do Norte, contra os aposentados, ou contra ambos?
  5. E não custa lembrar: o recurso da previdência nunca foi direito de todos aposentados, só dos q entraram após 2005. RN tem 103 mil servidores; 90 mil NUNCA teriam direito ao FUNFIR, nem hoje nem nunca. Governos anteriores não guardaram o dinheiro p/aposentados, que são as vítimas.

Deixe um Comentário