Governo não se debruçou sobre orientações para resolver crise no RN, diz Gilberto Jales

Segundo o conselheiro, outras reuniões do tipo já aconteceram e, desde então, “o tribunal vem colaborando”. “Participamos de outras reuniões com este mesmo intuito, e o TCE, dentro das suas prerrogativas, vem colaborando muito com a situação de crise. Entregamos alguns documentos e auditorias sobre o diagnóstico do Estado e apontamos soluções. A gente tem apontado uma série de medidas”, afirmou o presidente do TCE ao Agora RN.

Gilberto Jales lamentou, contudo, que, mesmo de posse de pareceres, o Estado não tenha tomado providências devidas. “São muitos caminhos e saídas. Devido à gravidade da crise, a maioria é de médio prazo. As notícias que temos, entretanto, é que o Estado ainda não se debruçou sobre as orientações recebidas. O nosso espírito, e o governador sabe disso, é que o tribunal tem sido um colaborador”, destacou o conselheiro, sem detalhar as medidas.

Apesar do discurso do presidente, um levantamento feito pelo Agora RN mostrou que, em 2017, os conselheiros e procuradores do Tribunal de Contas receberam, em média, cada um, R$ 438 mil líquidos, entre remunerações, auxílios e o pagamento de férias retroativas.

REUNIÃO

Além do presidente do TCE, o governador Robinson Faria convidou para a reunião desta quarta-feira o presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira (PSDB); o do Tribunal de Justiça, desembargador Expedito Ferreira; e o procurador-geral de Justiça, Eudo Rodrigues Leite.

Segundo o Agora RN apurou, Robinson pretende informar os representantes dos poderes sobre medidas que vêm sendo adotadas pela gestão estadual para contornar o momento de crise e outras que pretende adotar em breve. Além disso, o governador irá solicitar das autoridades ações de apoio às medidas do Executivo e “união”.

Deixe um Comentário