Isolda Dantas: “Kelps age como um moleque e mente”

Em entrevista a uma rádio da cidade, o deputado estadual Kelps Lima disse que a governadora Fátima se juntou com Rosalba para enterrar a CPI da Arena das Dunas.

Ora, a afirmação não faz nenhum sentido. Foi a controladoria do RN quem descobriu o sobrepreço que gera dano ao erário. O governo ia descobrir algo contra sua “estratégia”?

Depois, foi o procurador geral da assembleia quem emitiu um parecer, permitindo o prazo de 120 dias para a CPI da Covid e 60 dias para a CPI da Arena das Dunas. O governo ia gerar um prazo mais extenso para a CPI pilotada pela oposição? E um mais curto para a CPI que a oposição não queria? Membros da oposição fizeram parte da gestão de Rosalba quando o contrato do Estado com a empresa que administra o estádio foi celebrado.

Além de já ser absurdo, o governo agir contra si próprio e ajudar a oposição, há outro dado básico: quem manda no procurador da assembleia, me desculpe a redundância, é o presidente da assembleia e não a governadora. Se o procurador usou o regimento novo para permitir transmissão de tv para a CPI da Covid e um prazo mais extenso e outro mais curto e sem direito à transmissão da Arena das Dunas, seguindo o regimento antigo, era para o procurador e o presidente da assembleia responderem as alegações de Kelps. Um é o chefe da procuradoria e o outro é o presidente do poder autônomo.

Por fim, o encerramento da CPI da Arena das Dunas a partir do parecer seletivo do procurador da assembleia foi votado e aprovado por 3 votos a 2 pela comissão e com votos dos membros da oposição. Isolda Dantas, deputada pelo pt e relatora da CPI da Arena das Dunas, que votou conta o fim do relatório aprovado pela oposição, lembrou esta obviedade. Por isso que ela disse que Kelps é moleque e mentiroso.

Leia a entrevista em que Isolda chama Kelps de moleque e mentiroso aqui.

PS. O contrato do Estado com a Arena das Dunas é escandaloso e tem o dedo de diversos membros da oposição. A pressão para enterrá-la dentro da Assembleia foi enorme.

Esta semana, por exemplo, o TCE/RN determinou que a empresa que administra o equipamento divida com o governo o lucro líquido da Arena e não o lucro bruto, conforme determina o contrato.

A controladoria geral do RN mostrou que isto gerou um prejuízo para o erário de 19 milhões de reais e só ocorreu porque, durante a gestão de Rosalba, a secretaria da copa permitiu que a empresa dividisse apenas o lucro bruto a partir de um mero ofício emitido sem nenhum estudo ou parecer técnico e jurídico, produzindo uma mudança não autorizada do contrato.

Deixe um Comentário