J.K. Rowling e Chomsky assinam carta contra a cultura do cancelamento

Do Correio Braziliense – A carta começa apoiando os recentes protestos por justiça racial, mas pondera que há uma crescente “intolerância” por parte do ativismo progressista norte-americano em relação a ideias discordantes. Os abaixo-assinados consideram que isso está afetando os ambientes acadêmicos e culturais, onde há acusação e boicote, “punições desproporcionais” e uma consequente “aversão ao risco” ou autocensura que empobrece o debate público. “Devemos preservar a possibilidade de discordar de boa-fé, sem consequências profissionais funestas”.

“A inclusão democrática só pode ser atingida se nós denunciarmos o clima intolerante que está estabelecido em todos os lados. […] Como escritores precisamos de uma cultura que nos dê espaço para experimentações, chances de tomar riscos e até cometer erros. Precisamos preservar a possibilidade de uma discordância de boa-fé, sem consequências profissionais terríveis“, diz a carta.
Vale lembrar que J.K. Rowling foi acusada recentemente de ser transfóbica, após criticar uma publicação que se referia às mulheres cis como “pessoas que menstruam” em vez de “mulheres”, considerando a inclusão das mulheres trans no termo. Rowling defende que apenas o sexo biológico da pessoa deve ser considerado para a definição de gênero. Vários atores da saga Harry Potter, escritores e fãs se posicionaram contra a autora.


Deixe um Comentário