Lançamento da pré-candidatura de Fábio Dantas será admissão pública de que o foco da oposição é tentar eleger Rogério Marinho

O lançamento da candidatura de Fábio Dantas ao governo do RN representará a admissão pública de que o foco da oposição em 2022 no RN será a disputa pelo senado, através do ex-ministro Rogério Marinho. Dantas virará um batedor de esteira, um candidato na majoritária central apenas para completar a chapa. Setores da imprensa dão como certo o anúncio do nome dele no próximo dia 19 junto com Marinho para o senado.

Para Fábio Dantas será ótimo. Ele terá a condição de repaginar a imagem, pois o que o eleitorado do RN sabe a respeito dele é que foi vice governador de Robinson Faria, que saiu mal avaliado. Também poderá articular as bases para a cadeira que ocupa na assembleia legislativa do RN, através da esposa Cristiane Dantas, e rodar pensando em 2024/2026. É um ótimo negócio diante de um aparente fim para a política estadual após participar do mandato 2015-2018.

Mas é óbvio que seu nome é uma mão na roda para a reeleição de Fátima Bezerra. Não adiantará falatório, narrativa e outras encenações. Também terá escasso impacto a pressão da opinião publicada pró-bolsonarista. A presença de Dantas no pleito provocará a inevitável comparação entre o governo anterior e o atual e, ora, estamos falando de dado objetivo: tal comparação é vantajosa para Fátima Bezerra.

Dantas representa o Plano C da oposição, que tentou primeiro convencer Carlos Eduardo, que disse não e irá para o senado com Fátima; e Ezequiel, também distante de qualquer possibilidade de disputar o governo (outros nomes foram sondados mas sem maiores balões erguidos).

Este blogueiro confessa que chegou a duvidar de tal possibilidade – a de Dantas vir a ser o candidato da oposição -, dada a formação de um contexto positivo para a reeleição da governadora. Imaginou se constituir em operação cavalo de Tróia. Só que, ao que tudo indica, o lançamento é para valer.

Deixe um Comentário