Mais uma

Ainda que com críticas de especialistas, que alegam que todas as vacinas devem ser compradas pelo governo para distribuição racional entre grupos prioritários, o presidente Jair Bolsonaro autorizou que empresas comprassem 33 milhões de doses da Astrazeneca. Eles distribuiriam metade entre seus funcionários e a outra metade dariam ao governo.

A ação durou pouco. A Astrazeneca negou a venda e disse que a demanda mundial não permite a distribuição privada do imunizante.

Deixe um Comentário