Mandetta faz de tudo para ser saído

O ministro da saúde Luiz Henrique Mandetta faz de tudo para ser saído do cargo pelo presidente Jair Bolsonaro. No último domingo, concedeu entrevista para a emissora considerada por Bolsonaro como sua oposicionista. Detalhe: ele falou do palácio do governo de Goias, sede da gestão de Ronaldo Caiado. O governador rompeu recentemente com o presidente.

Pela apresentação do cenário feita por Mandetta, fica claro que ele não quer ficar com a batata assando na mão. A pandemia, diz ele, irá estourar de vez entre os meses de Maio e Junho. Ele ainda fez questão de estabelecer uma ressalva: amanhã, o governo poderá ser acusado de não ter colocado em prática todos os seus esforços em face de um possível esgotamento do SUS. A fala soa como vacina contra uma responsabilização posterior.

Para Mandetta, de fato, o melhor a fazer é sair como alguém que defendeu um discurso técnico diante da pandemia, com alta popularidade e foi punido por isso. Daí a provocação contra quem o garante no cargo. Atravessar o calvário do pico de covid tem o potencial de arrastar todo mundo para o meio do furacão. E, convenhamos, se ainda estiver no ministério, com a provável multiplicação de óbitos por covid, o presidente não pensará duas vezes em jogar tudo também em suas costas.

Deixe um Comentário