Messianismo anticorrupção produz o seu contrário

Li assim que saiu o livro do Deltan Dallagnol sobre sua trajetória pessoal e sua luta contra a corrupção. Fiquei impressionado com o messianismo com que ele se coloca no combate a esse grande mal da “alma brasileira” (sic).

Por isso não me surpreendi com as transgressões nos diálogos vazados pelo The Intercept. Esse messianismo que se põe como do lado do bem supremo justifica tudo.

Não é só da maldade que devemos ter medo. As grandes causas e seus messias cegam e fazem com que os mensageiros das boas novas passem por cima de qualquer limite em busca do suposto bem maior. Achar que está construindo o paraíso gera as maiores distopias.

Afinal, o que é o mero respeito ao estado de direito quando você acha que está trabalhando em prol de um mundo perfeito?

Deixe um Comentário