Moro pede demissão, faz graves acusações contra Bolsonaro e deixa aberta a janela pra candidatura própria em 2022

Após a demissão do diretor da Polícia Federal Maurício Valeixo pelo presidente Jair Bolsonaro, o ministro da justiça Sérgio Moro convocou uma coletiva de imprensa e abriu o verbo.

Alegou que, ao contrário do que Bolsonaro disse em suas redes sociais, a demissão do diretor da PF não foi “a pedido” e que ele não assinou a exoneração.

Enfatizou que a intenção de trocar o chefe da polícia está alicerçada na vontade do presidente de acessar as investigações. Foi o ataque mais grave porque demonstra a tentativa de obstruir o andamento dos trabalhos da polícia.

Por fim, após entregar o cargo, Moro alegou que sempre ajudará o Brasil. Ou seja, é candidato.

Deixe um Comentário