Não está dado que Fábio Dantas terá o apoio integral do eleitor de oposição

O ex-vice governador Fabio Dantas se lançou hoje, ao lado do senadorável Rogério Marinho, pré-candidato ao governo do RN. Apesar do tom bolsonarista do discurso, não está dado que ele será o preferido automático da oposição.

Não quero estabelecer aqui nenhuma conclusão precipitada. Mas cabe ponderar que é possível uma segunda candidatura de oposição contrair o voto do eleitor que não vai de Fátima, mas também não quer o ex-vice governador da administração anterior. Além disso, até dia desses Fábio Dantas era do PCdoB, só recentemente mudando para o solidariedade. O pcdob é um aliado histórico do PT. É um histórico muito ruim para dialogar com o bolsonarista.

Uma segunda candidatura de oposição pode alcançar dois dígitos. Claro, a depender da existência de postulações competitivas e a partir do modo como esses possíveis competidores irão se relacionar com a base bolsonarista.

O senador Styvenson pode ser esse nome caso efetive sua pré-candidatura ao governo. Talvez, já farejando o cenário, correu para tirar o nome da CPI do MEC para não desagradar um eleitor em potencial. É de bom tom aguardar as próximas pesquisas.

Fabio Dantas, que já disse que uma candidatura competitiva de oposição não pode ser próxima do bolsonarismo nas últimas semanas, abusou da estridência típica dos seguidores do presidente em seu discurso de lançamento hoje justamente para impedir que outros candidatos se criem dentro da base desse contingente eleitoral.

Deixe um Comentário