Narrar com seriedade a mudança de decreto em Natal é sinônimo de jogar a credibilidade no lixo

O prefeito Álvaro Dias, em decreto relâmpago veiculado hoje no diário oficial da cidade, desobrigou o uso de máscaras em Natal. Apresentar essa ação com qualquer tipo de seriedade significa jogar a credibilidade no lixo.

O decreto foi publicado menos de um dia após o comitê científico estadual apresentar a medida de tornar facultativo a utilização do utensílio em espaço aberto, mantendo em locais fechados. A proposta foi acatada pelo governo do RN.

Não se trata nem de ser a favor ou contrário a medida de Álvaro Dias. É que fica escancarado que não teve qualquer planejamento, análise da situação, nada. O seu tal comitê científico não foi reunido e sai completamente humilhado dessa história. O falso discurso da defesa da ciência fica completamente exposto. De novo.

O que Álvaro quer e sempre quis foi pegar a bandeira do antipetismo, que é forte em Natal e essa briga de decreto serve apenas a isso. Então, se o governo desobrigou máscara em ambiente aberto, ele tem de ser o autor do salto mais a frente.

Ele saiu completamente impune da prescrição em massa de remédio pra verme, alegando que protegia contra covid, mandando o povo se jogar de paraqueda furado no ambiente de pandemia e enchendo as utis de pessoas que acreditaram na enganação. Ora, sem freio institucional, é óbvio que ele não vai parar. E cabe dizer mais: também é evidente que sempre terá quem queira atribuir verniz de alguma tecnicidade a essa patacoada. Natal não teve os piores índices do RN na pandemia pelas mãos de uma pessoa só.

Deixe um Comentário