O MST quer eleger Girão

Membros do MST fizeram um protesto contra o deputado federal General Girão no dia internacional da mulher em frente ao seu escritório. Além da data, Girão foi escolhido pela postura contra o movimento sem terra, pela defesa de agrotoxicos e por estar envolvido nos atos antidemocráticos e propagação de fake news investigados pelo Supremo Tribunal Federal.

Protesto faz parte da democracia. Então, tudo normal. Só que pichação não faz sentido. Pior. Depõe contra o próprio movimento. Pouco importa agora a pauta, o deputado federal está se dizendo vítima de intolerância política e irá capitalizar diante da ação do MST.

Trata-se, em resumo, de um prato cheio para o General. A sociedade não aceita pichação e, ora, é ilegal. O MST virou cabo eleitoral do parlamentar que quis criticar. A mídia de Natal, que jamais perderia um gancho como este, faz a festa contra o MST.

Deixe um Comentário