O que a classe política do RN acha dos preparativos golpistas de Bolsonaro?

O que a classe política do RN acha dos inconfundíveis preparativos do golpe do presidente Jair Bolsonaro? As mais diversas associações do Brasil e de fora já se manifestaram. A imprensa internacional e a nacional alertam para a insofismável incursão antidemocrática. Os tribunais superiores, líderes políticos nacionais e organizações vieram a público ontem endossar a confiança no processo eleitoral brasileiro diante da ação – inédita – de um presidente emporcalhar a imagem do Brasil perante o mundo. No RN quem tem poder de mando/fala não pode fazer a egípcia.

Cabe lembrar: o RN também integra o Brasil e será impactado do ponto de vista econômico e político. Não há uma brincadeirinha em curso, uma verborreia pública sem maiores consequências. Sem instituições, um país não avança e uma nação perece no caos, no revés econômico. Fazer de conta de que o problema não está dado não evaporará seus desdobramentos. O que está em jogo é objetivo: a ditadura de 64 deixou um rastro de morte, inflação, atraso e autoritarismo.

Portanto, vale indagar – qual a posição da Associação dos Magistrados do RN? Do ministério público federal, que é dotado de independência funcional e administrativa e não precisa se vincular diretamente ao procurador geral Augusto Aras, já dotado de posição previamente conhecida? Cadê os editoriais da imprensa local? As manifestações de sindicatos patronais e de trabalhadores? O que os pré-candidatos ao governo, senado e à câmara federal pensam a respeito? Se não há manifestação clara e aberta, todos devem ser constantemente perguntados sobre como se comportam diante da preservação da democracia.

Deixe um Comentário