O que Natal tem a ensinar a Astrazeneca/Oxford em matéria de covid-19

O laboratório inglês astrazeneca anunciou, em parceria com a universidade de Oxford, o início dos testes de um remédio para prevenção e cura da covid-19. O laboratório compete com outros dois no mundo na criação da primeira droga com esse propósito.

Certamente, eles não tomaram pé da experiência natalense. Se conhecessem, saberiam que basta tomar remédio pra lombriga que a coisa se resolve.

O governo americano, o financiador da pesquisa, deveria vir até a cidade do sol para averiguar tudo com os seus próprios olhos. A FDA, a Anvisa americana, já emitiu comunicado contra o uso de hidroxicloroquina e ivermectina no tratamento de covid-19. Mas isto ocorreu, certamente, porque não conversaram com o nosso comitê científico local. Estão jogando dinheiro fora.

Algum patriota avisa ao Trump, que está perdendo votos nos EUA por conta da pandemia, que a saída para a reeleição dele se encontra em Natal.

VIVALDO COSTA BATEU PESADO

O deputado estadual Vivaldo Costa bateu forte ontem (25) em pronunciamento na assembleia legislativa do RN. Médico, ele defendeu a medicina baseada em evidência e não em curandeirismo.

A partir disso, criticou a distribuição de ivermectina em Natal. Além de não ter efeito, estimula a saída das pessoas à rua, que voltam pra casa e contaminam os mais velhos, enfatizou. Por fim, disse que em Caicó não há distribuição de ivermectina e os números – de mortos e de casos – são menores. Isto porque, segundo ele, ao invés de remédio ineficaz, as pessoas estão mantendo o distanciamento e os cuidados sanitários.

Natal tem 24% da população do RN e 42% das mortes no estado por Covid-19.

Deixe um Comentário