Operação de salvação dos negacionistas em campo no RN

Há duas formas de noticiar a crise em face da proximidade do colapso na saúde do RN.

  1. Mostrar que isto foi alertado desde o início, caso o isolamento não fosse efetivado e que, diante de tal perspectiva, um determinado lobby agiu contra a abertura de um hospital de campanha e contra o próprio isolamento, única ferramenta de diminuição dos casos da covid-19, conforme a organização mundial de saúde;
  2. A segunda possibilidade é fechar os olhos para a realidade 1 e passar a cobrar que governos e prefeituras abram leitos indefinidamente, ignorando que faltam recursos – respiradores, equipamentos de proteção individual, profissionais e instalações físicas -, não apenas no RN, mas no mundo todo. A alta demanda foi diversas vezes noticiada. Clamar por mais leitos, sabendo que é um pedido sem pé nas possibilidades objetivas como foi alertado, é fazer a egípcia.

Sem a contextualização 1, a notícia pelo formato 2 visa proteger quem jogou a favor do negacionismo, ignorando todos os alertas sobre a ferocidade da pandemia. Tal operação segue em campo.

Deixe um Comentário