Os defensores da liberdade de informação e expressão sumiram

Nem de longe, quem defendeu a liberdade de imprensa no caso do STF, que censurou uma matéria da revista CrusoÉ, agora se manifesta da mesma maneira na decretação de sigilo sobre os estudos da reforma da previdência pelo governo.

Disse que irá economizar um trilhão em dez anos e gerar oito milhões de empregos. Mas os estudos são segredo, conforme matéria da folha de São Paulo.

O site antagonista, que foi censurado pelo STF, sequer deu uma notinha reprovando a conduta do governo.

Deixe um Comentário