“Polarização” entre Bolsonaro e o PT é versão interessada da política nacional

Dizer que o polo oposto ao bolsonarismo é o petismo é perder de vista os fatos. Lula, liderança máxima da esquerda, se colocou contra o impeachment e já deu declarações de que o presidente Bolsonaro está correto na forma com que reclama da imprensa.

Hoje, os ataques mais fortes contra Bolsonaro vêm de São Paulo, em especial do governador e presidenciável João Doria. O pedido de impeachment de Bolsonaro veio do deputado federal Alexandre Frota, liderado de Doria.

Mas interessa ao bolsonarismo manter essa ideia da “polarização” forte contra um inimigo, o pt. É uma narrativa que justifica sua radicalização.

Interessa também a quem quer uma solução de centro em 2022 alegar que há polos opostos entre Bolsonaro e o PT, apesar da realidade contrária.

Deixe um Comentário