Policial não é guerreiro; é trabalhador

O desafio da esquerda é inverter o sentido da direita que preconiza policial como guerreiro. Policial não é guerreiro. Ele não está numa luta entre o bem e o mal. Isso é argumento da lógica autoritária que trata a repressão como medida de controle social e sinaliza para a separação entre cidadãos e não cidadãos.

O policial é trabalhador do estado de direito e também portador de direitos que merece apoio e valorização. O mesmo discurso que enquadra policial como guerreiro é o que coloca em segundo plano os processos de estigmatização da profissão, convive com congelamento de salários e perde de vista outros pleitos da categoria.

Deixe um Comentário