Por que quem reclama do REFIS para donos pobres de motos do RN, não critica o refis, perdão de multa e juros para os empresários quase todos os anos?

O governo apresentou, a Assembleia legislativa aprovou e o executivo sanciona um projeto de lei que perdoa dívidas até 2018 de quem tem moto em todo o RN. Para acessar o benefício, é preciso pagar todos os impostos da moto referente ao exercício de 2019 e não ter multa de trânsito. O governo espera arrecadar cerca de 14 milhões com o retorno do pagamento dos impostos pelos até então inadimplentes.

A ação visa fazer com que, quem tem moto e não paga seus impostos há anos, situação comum em pequenas cidades do RN e em zonas rurais, retorne à normalidade. É uma espécie de refis para os pobres e classe média baixa.

A medida é boa porque traz de volta o contribuinte. Ainda assim, as críticas vieram de setores oposicionistas. A alegação é a de que a medida prejudica quem nunca atrasou.

Ora, pelo contrário. Quem paga sua moto em dia, pode transitar nos centros urbanos e passar por uma blitz sem revés. O poder fiscalizatório do estado agirá novamente sobre quem tem uma moto e só circula no seu pequeno município ou na zona rural, para não ficar numa barreira policial. Esses proprietários de motos já “perdiam” sem o direito de ir e vir. Agora criarão receitas e passarão a ser fiscalizados de novo pelo estado.

O irônico é que, esses mesmos críticos, não reclamam quando um refis como esse é feito, quase que anualmente, para refinanciar e perdoar dívidas, juros e multas de empresários.

Por que para o pobre não pode e para quem tem condições é coisa boa?

Deixe um Comentário