Presidente nacional do Solidariedade defende impeachment de Bolsonaro; No RN, partido é comandado por Kelps Lima

Deputado federal Paulinho da Força (Solidariedade-SP)Portal PAULINHODAFORÇA

O solidariedade é comandado pelo deputado estadual, Kelps Lima, que tem procurado se aproximar da base bolsonarista local, através da atuação da CPI da Covid na Assembleia. Há possibilidade da movimentação nacional atrapalhar os planos de Kelps no RN.

Da CNN Brasil – O presidente do Solidariedade, Paulo Pereira da Silva, conhecido como Paulinho da Força, disse em entrevista à CNN, nesta terça-feira (7/9), que é favorável ao impeachment de Bolsonaro. De acordo com o parlamentar, o chefe do governo “passou de todos os limites”.

Além disso, ele afirmou que a bancada irá se reunir para “sair da neutralidade”.

“Nessa reunião a gente vai tomar uma decisão favorável ao impeachment, dessa maneira saindo na neutralidade e indo para uma posição mais firme e mais dura contra o presidente da República”, disse.

Para o parlamentar, as falas de Bolsonaro durante manifestação do 7 de Setembro, “passou de todos os limites”. Paulinho também disse que imaginava que o chefe do governo poderia “ter melhorado”. “Eu conheço bem o Bolsonaro, fui deputado com ele por 12 anos”.

O presidente do Solidariedade afirmou que, a cada dia que passa, Bolsonaro “fica mais maluco”. O parlamentar ainda disse que o pedido de impeachment pode juntar mais de um partido.

Outros pedidos

A mobilização também parece surgir de outros partidos. Mais cedo, siglas como o PSDB e o PSD sinalizaram apoio ao impeachment do presidente. O presidente dos tucanos, Bruno Araújo, anunciou a convocação de uma reunião extraordinária para tratar da posição do partido em relação ao possível processo.

A mensagem de Araújo convocando a reunião foi publicada pouco tempo após Bolsonaro adotar tom de ameaça ao Judiciário durante discurso feito a apoiadores reunidos na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

O PSDB, por enquanto, não tem uma posição definida em relação aos mais de 100 pedidos de impeachment protocolados na Câmara dos Deputados e nunca avaliados. No entanto, tem se posicionado a favor da democracia.

A manifestação de Araújo sobre eventual apoio do PSDB ao impeachment de Bolsonaro se soma à declaração dada nessa segunda-feira (6/9), pelo presidente do PSD, Gilberto Kassab, no mesmo sentido.

Deixe um Comentário