Queda de Bolsonaro nas pesquisas terá impacto em 2020 no pleito em Natal

Há uma perspectiva de queda do governo Jair Bolsonaro diante da pandemia do coronavírus e da crise econômica. A situação ganhou contornos dramáticos após a saída do ministro da justiça Sergio Moro, demonstrando mensagens dando conta de que o presidente mexe na diretoria da polícia federal para interferir em investigações.

A pesquisa Atlas publicada pelo jornal El País aponta, pela primeira vez, para uma maioria querendo o impeachment de Bolsonaro. Além disso, ele figura com menos de 1/3 de apoio, algo que era considerado a sua base mais sólida. Veja a pesquisa na matéria abaixo.

O ano de 2020 é de campanha eleitoral municipal. Em Natal, com a perspectiva se mantendo, candidatos atrelados ao bolsonarismo terão teto menor. E aqueles que estavam se aproximando dele terão de repensar a estratégia. Será uma carga difícil de carregar durante a campanha.

Do El País

A guerra pública travada entre o presidente Jair Bolsonaro e o agora ex-ministro Sergio Moro em meio às acusações de interferência política no comando da Polícia Federal empurrou o presidente a um patamar inédito no derretimento de sua imagem pública: pela primeira vez na série histórica de pesquisas realizadas pela consultoria Atlas Político, a maioria dos entrevistados (54%) é favorável a um processo de impeachment contra Bolsonaro.

Os reflexos da demissão de Sérgio Moro afetaram diretamente seu capital político: 64,4% responderam que desaprovam seu desempenho como Presidente, enquanto 30% o aprovam.

A pesquisa do Atlas Político foi feita com 2.000 pessoas entre os dias 24 e 26 de abril. A pesquisa, que tem uma margem de erro de dois pontos percentuais.

embate entre Bolsonaro e Moro colocou o impeachment de volta ao debate público. Oposicionistas têm aumentado a pressão na Câmara dos Deputados para iniciar um processo. A Casa já recebeu ao menos 19 pedidos que acusam o presidente de crime de responsabilidade, sendo oito deles protocolados neste ano. Na sexta-feira, mais um se somou a esta lista, feito por três parlamentares da REDE. E um vigésimo pedido deverá ser entregue nos próximos dias pelo partido que elegeu Bolsonaro, PSL.

EL PAÍS

Deixe um Comentário