Reitor pró Tempore do IFRN nomeia servidor para pró-reitoria que já sofreu suspensão por Processo Administrativo Disciplinar

Josué Moreira, reitor pró tempore do IFRN, nomeou servidor pró-reitoria de extensão que já foi suspenso por processo administrativo disciplinar (nomeação aqui e portaria de punição logo em seguida).

É o pau que bate em Chico que não bate em Francisco, pois a alegação dada pelo deputado federal General Girão, para impedir via ministério da educação, a nomeação do professor Arnóbio, vencedor do pleito na instituição, é o fato dele responder a um processo administrativo disciplinar. O PAD só foi aberto, inclusive, durante o processo eleitoral, quando ele já liderava a competição.

PS. Não é ilegal assumir uma reitoria ou um pró-reitoria, mesmo sendo já tendo respondido a um processo administrativo disciplinar. A questão é que a retórica não pára em pé. No caso do professor Arnóbio, sequer há condenação, ao contrário do pró-reitor nomeado por Josué Moreira. Ou seja, aos meus amigos, tudo. Aos meus adversários, nem a lei.

Deixe um Comentário