Reunião de embaixadores para atacar o sistema eleitoral é mais um crime de Bolsonaro

Está marcada para hoje (18) a reunião organizada pelo presidente Jair Bolsonaro com embaixadores convidados para falar mal das urnas eletrônicas.

Incomodado com o fato de que na arena internacional ganhou a pecha de golpista, Bolsonaro alega que quer sensibilizar representantes de outros países sobre a fragilidade do processo eleitoral brasileiro.

Ora, não há fragilidade e o que Bolsonaro quer é tentar tirar a credibilidade das eleições por aqui pelo fato de se encontrar atrás na corrida por 2022. As motivações são insofismáveis. O Brasil caminha a passos largos para a sua condição de república de bananas. E o presidente agirá ao arrepio da lei para tanto.

A reunião já nasce fracassada. As principais representações do mundo já disseram não comparecerão e o ministro do TSE Edson Fachin alegou que não vai a eventos de campanha.

Deixe um Comentário