Seguindo o exemplo de ex-presidentes dos EUA, Sarney, FHC e Temer vão tomar vacina oferecida por João Doria; Dilma e Lula também foram convidados mas ainda não se manifestaram

Foto: Wikicommons Media

Os ex-presidentes José Sarney (MDB), Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Michel Temer (MDB) aceitaram convite do governo de São Paulo para participação na campanha de vacinação contra a covid-19 no Estado.

Os ex-presidentes estarão entre os primeiros a serem vacinados com a CoronaVac, vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac.

O convite do governador João Doria (PSDB) é para que o trio tome o imunizante em público em 25 de janeiro, data planejada para início da vacinação no Estado.

Sarney, FHC e Temer têm mais de 60 anos e integram o público alvo da 1ª fase de vacinação, de acordo com o PEI (Plano Imunização Estadual) divulgado na semana passada.

O Butantan, no entanto, ainda precisa pedir a autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para uso emergencial e registro definitivo da CoronaVac. Isso será feito em 23 de dezembro.

ESTADOS UNIDOS

Os ex-presidentes dos Estados Unidos, Barack Obama, George W. Bush e Bill Clinton, se ofereceram para tomar a vacina contra a covid-19 em público.

Eles informaram que estão dispostos a tomar o imunizante publicamente, depois da aprovação da FDA (Food and Drug Administration, em inglês), órgão responsável pela regulação de medicamentos nos Estados Unidos.

“NÃO VOU TOMAR VACINA”

O presidente Jair Bolsonaro não tem a mesma intenção. Em entrevista à TV Band na última 3ª feira (15.dez.2020), ele afirmou que não vai tomar a vacina,

“Eu não posso falar como cidadão uma coisa e como presidente outra. Mas como sempre eu nunca fugi da verdade, eu te digo: eu não vou tomar vacina. E ponto final. Se alguém acha que a minha vida está em risco, o problema é meu. E ponto final”, disse.

Poder 360

Deixe um Comentário