Sobre a ajuda do governo federal ao RN – União impediu a formação de barreiras sanitárias no aeroporto de São Gonçalo em pleno início da pandemia

o deputado Tomba Farias alegou que é preciso reconhecer os esforços do governo federal no RN no combate ao coronavírus. Listou como exemplo o auxílio de 600 reais. Segundo ele, a governadora Fátima Bezerra e os prefeitos deveriam dar o crédito sobre o que vem sendo feito por Bolsonaro no momento de pandemia. Esse discurso não é apenas feito por Tomba, mas pelos bolsonaristas no RN.

De fato, o auxílio, que seria de 200, conforme proposição inicial do governo federal e foi ampliado pela câmara federal para 600, é importante. Ajudará quem sofre com os efeitos da crise econômica gerada pelo vírus.

Mas é preciso dar o crédito por tudo que o governo federal no RN sem seletividade.

Cabe listar:

  1. Bolsonaro desincentiva diariamente a adesão ao isolamento social, inclusive com notícias e dados falsos, como se fosse ele e não a covid-19 o problema. Ele contraria todos os exemplos de sucesso e as recomendações da Organização Mundial de Saúde. O isolamento social no RN, que já chegou a mais de 70%, hoje está numa média de 50%;
  2. O governo federal só falou em comprar respirador a primeira vez no dia 26 de março para os Estados. Até agora, só 11% do prometido ficou pronto. As demais unidades só virão em outubro quando a pandemia já se encontrará arrefecida. Por pura ideologia, eles não foram importados da China e serão fabricados no país;
  3. O governo federal prometeu adquirir 40 milhões de testes. O ministro da economia Paulo Guedes disse que adquiriria o insumo com um amigo inglês. Porém, até agora, nada chegou. Sem testes, conforme a OMS, não há como afrouxar o isolamento pela impossibilidade de detectar os doentes para isolá-los;
  4. E o governo federal não deixa apenas de fazer sua parte e atrapalha na questão do isolamento social. Vale recordar que a União entrou na justiça e conseguiu, no dia 25 de Março, impedir que os governos estaduais fizessem barreiras sanitárias nos estados e queria adotar apenas procedimento padrão. O Rio Grande do Norte, grande receptor de turistas italianos, foi um dos prejudicados.

Tudo que foi afirmado acima foi amplamente divulgado e se encontra na imprensa local e nacional. Mas gostaria de publicar, mais uma vez, a matéria em que o governo federal impediu de fazermos barreiras sanitárias no Aeroporto de São Gonçalo do Amarante. Em resumo, o governo federal não apenas deixa de ajudar; com seu negacionismo a respeito da gravidade da situação, trabalhou pela pandemia.

Desembargador derruba decisão que determinava ‘barreira sanitária’ contra o coronavírus no Aeroporto de Natal

Do G1

O desembargador Paulo Cordeiro, do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, em Recife, derrubou uma decisão liminar da Justiça Federal que determinava que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) implantasse uma barreira sanitária e de inspeção de voos nacionais e internacionais no Aeroporto de Nata. O objetivo era tentar reduzir a contaminação do novo coronavírus – o Covid-19 no Rio Grande do Norte.

O magistrado acatou um recurso da União no final da tarde desta terça-feira (24). Com isso, foi cancelada a barreira sanitária que começaria a partir desta quarta-feira (25), em um voo de Guarulhos, com uma ação conjunta entre a Anvisa, Suvisa e a Vigilância Sanitária do município de São Gonçalo do Amarante (Visa). O agravo de instrumento encerrou a reunião que planejava os preparativos para a ação.

“Após fecharmos toda programação da operação fomos surpreendidos pelo agravo de instrumento derrubando a decisão judicial que havia determinado a ação em conjunto. Diante disso, fomos impedidos de executar a ação, apesar de estarmos com tudo pronto. Vamos agora aguardar outras deliberações judiciais”, explicou a subcoordenadora de Vigilância Sanitária do Estado, Leila Maria Ramos Mattos.

Deixe um Comentário