Sobre a patacoada do “ranking dos políticos” que coloca parlamentares de esquerda como os piores do RN

Na semana que passa um tal “ranking dos políticos” qualificou os melhores e piores parlamentares na câmara e no senado por estado. É mais um site a criar listas sobre a atuação de deputados e senadores na sempre nada imparcial Brasília. No momento em que as redações dos jornais praticamente morreram e quase ninguém apura nada, a pitoresca classificação ganhou ar de objetividade na esfera de debate potiguar com políticos sendo exaltados e outros criticados. A classificação é justa?

Fui atrás de ler a metodologia que tornou possível o ranking e o negócio só pode ser nomeado de uma forma: trata-se de um trabalho bizarro. Vou relatar os – muitos – problemas por partes e me ater apenas ao principal, o que já será suficiente para mostrar a patacoada publicada por jornais e blogs da taba.

O site (www.politicos.org.br) foi criado por dois administradores de empresa. A metodologia sequer é apresentada abertamente. Eles mostram critérios, que segundo o ranking, embala a pontuação. Dizem eles: “a pontuação dos políticos é definida de acordo com os dados que obtemos sobre gastos, assiduidade, fidelidade partidária e processos judiciais”.

Pela metodologia, se um mandato gasta mais da verba de gabinete porque simplesmente o parlamentar é mais atuante, viaja para ouvir suas bases, isto gera uma pontuação negativa. A aprovação de um plano de saúde para um grupo de servidores é uma coisa ruim, mencionam os elaboradores porque tira a eficiência do Estado. É preciso acabar com a “mamata” e com o “Estado paizão”, está lá escrito.

Se você faltou porque estava em um evento ou justificou com outra atividade no seu estado, isto também lhe tira pontos. As ausências justificadas são ações ruins. O deputado sai do seu gabinete confortável e faz visita num trabalho da frente parlamentar da saúde ou da previdência em seu estado ou em outro ente? Participa de um congresso organizado pela sociedade civil? Toma parte numa visita técnica? Pronto, pelo ranking ele não está trabalhando.

Se o deputado ou senador foi processado por qualquer coisa? Perdeu pontos também. Pouco importa a razão da judicialização. Se foi pelo enfrentamento de um tema difícil, de um grupo poderoso ou se amanhã o parlamentar vai ser inocentado.

A qualificação das mudanças partidárias também são esquecidas. Alguém que venha a ser perseguido por uma agremiação no caótico sistema partidário brasileiro e resolva sair, inclusive com aval da justiça, também não presta.

Mas o que mais chama atenção é o fato de parlamentares de direita liderarem o ranking nacional e por estados e os de esquerda figurarem na rabeira de todas as listas. E, ao revirar um pouco mais o site, fica evidente a inclinação de direita do sistema de pontuação. Basta ver as leis e iniciativas apoiadas pelos parlamentares que ganharam visão legislativa positiva. Citaremos as cinco primeiras.

1. CCJ – Requerimento para CPI Lava Toga – Senado 2019;

2. RCP – Requerimento para CPI Lava Toga – Senado 2019;

3. REQ 12/2019 – Requerimento para CPI Lava Toga – Senado 2019;

4. PL Nº 1321/2019 – EMENDA Nº 4 Devolução Fundo Partidário ELMAR JOSE VIEIRA NASCIMENTO – Câmara 2019;

5. PL 2724/2015 – Permite controle total de Cias aéreas por estrangeiros – Câmara 2019.

Para o “ranking dos políticos”, se você é a favor da reforma trabalhista, de vender a Petrobrás e integralmente a favor da reforma da previdência, com corte pela metade do benefício de prestação continuada (BPC), de mexer na aposentadoria rural e abrir o setor estratégico de aviação completamente para capital estrangeiro, você é um parlamentar de grande qualidade legislativa.

E quem faz parte do conselho estratégico de avaliação da qualidade legislativa auto-definido como “pró-mercado” e “não absolutamente neutros”? Flávio Rocha dono da Riachuelo, Rogério Chequer fundador do movimento pró-impeachment de Dilma “vem pra rua” e Gustavo Franco, ex-presidente do banco central de FHC e um dos ideólogos do partido novo.

Por fim, quem seriam os melhores parlamentares do RN e os piores? Pelo ranking, o senador Styvenson (Podemos) e o deputado general Girão (PSL) seriam os mais atuantes. A deputada federal Nathalia Bonavides (PT) e a senadora Zenaide Maia (PROS) as piores. Surpreso(a)?

É, caros, é isto que está sendo publicado como ranking de atuação sério de avaliação dos parlamentares do RN e do Brasil. Mas leva em consideração quem quiser ou quem tiver interesse.

Deixe um Comentário