Sobre a promessa de reabertura da UERN em Macau uma pergunta: de onde virá o dinheiro?

O governadorável Carlos Eduardo Alves prometeu na última semana reabrir uma unidade da UERN em Macau.

No momento em que o Estado sequer tem recursos para manter seu custeio e a UERN sedimenta uma política de enxugamento contra uma expansão anterior sem qualquer planejamento que quase custou sua existência, fica a pergunta: de onde vai sair o dinheiro?

A crise fiscal que o RN vivencia suporta uma expansão da máquina sem lastro?

Em tempo. A UERN de Macau foi fechada, além de outros campus avançados. Motivo: foram abertos sem qualquer estrutura como moeda de troca de apoio dos prefeitos em período eleitoral governamental pregresso. A expansão dos Institutos Federais desempenham papel já de cobertura, na medida em que viveram uma forte interiorização nos últimos anos.

A competência pelo ensino superior no país é da união.

Deixe um Comentário