Sobre o democrático defensor da repressão cubana ou do ataque bolsonarista às instituições

Repressão de manifestações, prisão de críticos. Isso não é democrático. E é contraditório apoiar esse tipo de coisa lá fora e questionar aqui. Ou o inverso – defender o ataque às instituições pelo presidente Jair Bolsonaro e se apresentar como democrático lá em Cuba.

Os defensores da repressão alegam que os manifestantes tinham o apoio dos EUA? E daí se for verdade? O direito ao protesto não desaparece por isso. A prisão de críticos não ganha legitimidade. O embargo dos EUA também é absurdo. Ainda assim, não há correlação entre condenar a prática e a repressão política naquele país.

Por outro lado, é fácil ser defensor de democracia lá em Cuba, fato que tem menor relevância no Brasil. Porém, pesa muito mais ficar diariamente, como se diz nas redes sociais, passando pano para um presidente que ameaça a democracia todos os dias e relativizar o ataque ao Supremo Tribunal Federal, Ministério Público, Congresso, etc.

Deixe um Comentário