Sobre o ressentimento divorciado com os fatos contra a principal universidade do RN

Acompanho todo o debate local. Achei – ingenuamente – que acabaria o ressentimento contra a universidade e professores universitários após tudo que ocorreu nessa pandemia.

Mas não. É um divórcio com os fatos. Ataques gratuitos às bases de pesquisa, à UFRN e aos seus profs continuam.

Vale lembrar. A UFRN vem tendo papel central no enfrentamento da pandemia – nas ações de planejamento, na feitura de exame, etc.

Não foi suficiente. Os ataques permanecem. As bobagens sobre esquerdismo e comunismo habitam a paisagem em parte da imprensa potiguar afeita ao extremismo de direita.

Se os fatos não são suficientes, este ressentimento deve ser questionado veementemente por quem tem voz para tanto.

Deixe um Comentário