Vacinas da China e da Índia encalham por diplomacia ideológica do governo federal

A conta chegou. A postura carente de pragmatismo da diplomacia brasileira gerou a fatura. A Índia enviou anunciou o envio de doses da Astrazeneca, que é fabricante, para países aliados. Não para o Brasil.

Motivo: o Brasil, contrariando seu histórico diplomático, se colocou contra a quebra de patentes das vacinas, como a Índia queria nos órgãos multilaterais de debate da questão. O presidente Jair Bolsonaro alinhou seus interesses no caso aos dos EUA. Aliás, como sempre.

No caso da China, o Brasil depende do insumo da coronavac para ser apenas embalada no país. Com os constantes ataques da família Bolsonaro contra os chineses, eles aproveitaram agora para retaliar com corpo mole.

Ernesto Araújo, ministro das relações exteriores, foi retirado das negociações por representar essa postura ideológica do governo federal.

As informações acima foram retiradas do UOL, da Folha de São Paulo e da Veja.

Deixe um Comentário