Encenação sobre Mártires de Cunhaú e Uruaçu abre celebrações aos santos potiguares

Encenação sobre Mártires de Cunhaú e Uruaçu abre celebrações aos santos potiguares

Um grande espetáculo ao vivo que reconta a saga dos heróis martirizados agora elevados à condição de santos. Esse é o resumo da “Cantata dos Santos Potiguares”. Os detalhes do espetáculo foram apresentados ao governador Robinson Faria, à imprensa, autoridades e convidados na manhã desta segunda-feira (2), no Restaurante Mangai.

Com investimento na ordem dos R$ 255 mil através do Governo Cidadão, a peça abre as celebrações aos novos santos brasileiros e é uma ação do Governo do Estado, por meio da Fundação José Augusto, do Grupo de Trabalho das Celebrações alusivas à santificação, da Arquidiocese de Natal, e da Prefeitura de São Gonçalo do Amarante.

Na ocasião, o governador ressaltou os esforços em torno das celebrações aos santos brasileiros. “O RN vai dar ao país 30 santos de uma única vez, um fato inédito no mundo. Esse momento tem que ser encarado com seriedade pelo seu fator histórico. O governo vem fazendo sua parte em parceria com as prefeituras, igreja e mídia, além do trabalho na estruturação das cidades para atrair o turismo religioso e fomentar a economia local” disse.

Com atenção para o turismo religioso, o governador anunciou ainda que após a celebração de canonização em Roma, no próximo dia 15, já está prevista uma reunião com os representantes da Tap Portugal e a Agência Abreu, uma das maiores operadoras de Turismo da Europa, para iniciar as tratativas em busca de parcerias.  “Vamos trabalhar de forma cooperativa para venda de voos fretados de europeus que queiram conhecer o Santuário”.

Presidente do Grupo de Trabalho das Celebrações alusivas à santificação, a secretária da Sethas, Julianne Faria, ressaltou que é uma oportunidade ímpar para o RN. “Só na Cantata já são cerca de 60 empregos direitos sendo gerados, com quase 300 indiretos. O governo também segue investindo em obras de acesso e recuperação de hospitais para receber os romeiros. Nossa expectativa é que após os eventos em Roma, mais de 100 mil pessoas visitem o estado, gerando emprego e renda para população do RN”.

Representante da Arquidiocese, Padre Murilo ressaltou que a Cantata une arte e religião com reflexos positivos para Igreja e governo. “A Cantata vai possibilitar levar adiante a devoção aos Santos Mártires do ponto de vista da Igreja e do ponto de vista do governo, vai criar um roteiro de turismo religioso”, pontuou.

Sobre a encenação de responsabilidade da Fundação José Augusto, ela traz a saga dos 30 heróis martirizados que serão consagrados santos pelo Papa Francisco. “Assim como outros espetáculos famosos no estado, a exemplo do Chuva de Bala no País de Mossoró, espero que a Cantata passe a integrar nosso calendário cultural também”, falou a diretora da FJA, Isaura Rosado.

Com projeção mapeada e a presença do Coral Canto do Povo, que participou da Cerimônia de Beatificação dos Mártires em 2000, a “Cantata dos Santos Potiguares” será apresentada ao público no Santuário dos Mártires de São Gonçalo do Amarante durante um período já de muita movimentação na cidade. “Estamos vivendo o melhor momento da história da nossa cidade e acredito que só tende a melhorar após a canonização”, contou o prefeito de São Gonçalo do Amarante, Paulinho Emídio. Segundo o gestor, 600 milhões de pessoas no mundo procuram pelo turismo religioso. No Brasil a média é de 18 milhões.

As apresentações em São Gonçalo do Amarante acontecem nos dias 26 e 27 de outubro às 19h30; no dia 28 de outubro às 17h; e no dia 29 de outubro às 19h. O auto une arte, cidadania e religiosidade e marca a histórica Canonização dos Mártires de Cunhaú e Uruaçu. O espetáculo é assinado por uma renomada equipe de artistas e técnicos que inclui a diretora Diana Fontes, e o músico Danilo Guanais, que teve o seu madrigal mais famoso, “A Missa de Alcaçuz”, executado no Carnegie Hall, em Nova York, este ano.

HISTÓRIA

Conhecidos como “os mártires de Cunhaú e Uruaçu”, os Padres André de Soveral e Ambrósio Francisco Ferro, o leigo Mateus Moreira e mais 27 foram martirizados em 1645 em decorrência das invasões holandesas no Brasil e no Rio Grande do Norte. Mais de 80 fiéis da Igreja Católica foram mortos.

Em reconhecimento ao feito dos Mártires de Uruaçu, em junho de 1989 o processo de beatificação foi concedido pela Santa Sé. No ano de 1998 o papa João II assinou o decreto reconhecendo o martírio de 30 religiosos brasileiros, enquanto que a beatificação aconteceu em março de 2000, na Praça de São Pedro, no Vaticano. No próximo dia 15, os martirizados serão consagrados santos pelo Papa Francisco.

Deixe uma resposta