A “demolição” do Hotel Reis Magos foi ato simbólico

Logo após o governo do estado abrir mão de se manifestar e a procuradoria geral do município alegar que a demolição do Hotel Reis Magos estava autorizada, a dona do equipamento correu ontem (9) para colocar uma máquina para derrubar o prédio.

O ato foi simbólico, uma forma de dizer: já começamos com a medida e não tem como mais voltar atrás. E funcionou. A irreversibilidade pairou como dado consumado. Mas a demolição ainda não aconteceu de fato. Deve ocorrer nas próximas semanas.

Deixe um Comentário