A quem interessa?

Debate hoje no RN ocorre sobre o crescimento nominal da arrecadação em um ano – de 2021 para 2022 – de 21%.

Um aluno de economia matizaria tal fato pela inflação, já que a arrecadação cresce pelos produtos inflacionados. Isto é, com tudo aumentando a alíquota fixa do governo sobre um produto mais caro vai aumentar também.

Só que há o outro lado da moeda. Tudo também se torna igualmente mais caro para o próprio governo – da merenda até o ponto dado em um hospital. Uma análise realista do cenário faria a devida atualização pela inflação, para não criar a falsa impressão de que há mais dinheiro para gastar no caixa do tesouro estadual.

Esconder tal dado é estranho, ou melhor, significativo em se tratando de período eleitoral.

A quem interessa passar essa impressão de que o governo estadual nada em superávit de arrecadação?

Deixe um Comentário