Abra bastante os olhos para o gasto de 100 bilhões com o “centrãoduto”

Um projeto parado desde 2015, por não existir consenso sobre sua defesa e importância, voltou a se movimentar na base congressual do presidente Jair Bolsonaro. Trata-se de um gasto de 100 bilhões de reais para a construção de gasoduto que favorecerá termoelétricas. Além de não renovável, o setor produz energia a um valor mais elevado.

O Brasil poderia embarcar de vez no uso de energias renováveis. É um local privilegiado para tanto. Mas o lobby para que o país gaste algo ultrapassado é monumental, apesar dos alertas dos especialistas. A alcunha de “centrãoduto” vem do endosso que os partidos desse agrupamento concedem ao ato. E a conta terminará saindo do bolso do consumidor, claro.

Representantes de setores da economia já criticam o centrãoduto pela perda de competitividade da indústria nacional. Mas a queda do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, tem a nuance de sua resistência ao projeto.

Leitor, fique de olho. Além de um investimento absurdo, que sairá em parte das riquezas do pré-sal, o consumidor também pagará duas vezes a conta – lastreando o investimento ruim e depois pagando por uma energia não renovável mais cara.

Deixe um Comentário