Agenda moral como bode na sala

Quem abre este modesto blog já havia lido a mesma avaliação que Lula disse esta semana, de acordo com a imprensa nacional. Lula tem razão. Para ele, Bolsonaro explora a pauta moral como bode expiatório para conseguir implementar sua dura agenda fiscal e fazer a travessia de início de gestão.

A avaliação dele é correta. Essa conversa furada sobre socialismo, bandeira vermelha, escola sem partido, menino de azul e menina de rosa só serve para desviar o foco e não debater o que interessa: de que modo o governo federal irá enfrentar sua crise fiscal e o desemprego no país.

Há duas questões também de relevo. Bolsonaro força no discurso sobre um inimigo interno e externo, alegando por exemplo risco de morte, como uma maneira de manter sua base mobilizada e tomar ações autoritárias.

Deixe um Comentário